Marcelo Bizar
Se aquele isto é como este, hei de ser histo ou comum peste
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Perfil
     Aprendiz sempre. Buscando a disciplina a cada dia. Leitor voraz, e se algo aprendi, foi que nosso aprendizado é constante e deve ser encarado como a própria razão da vida. Aprecio música, literatura, cinema, filosofia e humanidades em geral.
     Marcelo Bizar vive no mundo do samba desde muito cedo. Seu pai, o compositor K-Boclinho, lhe proporcionou essa vivência direta e contínua com o samba, seu nascimento é o começo de tudo. Com certeza, seu pai foi e continua sendo uma de suas maiores influências. K-Boclinho é compositor de longa data tendo suas composições gravadas por personagens ilustres da música brasileira, tais como Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Jurema, Roberto Silva e Ney Matogrosso.
     Mas, seu irmão, Wilson Bizzar contribui muito também com a história da musicalidade do Bizar. Com o irmão vieram a MPB, o rock e o pop. O violão também foi iniciado pelos acordes do instrumento que o irmão deixava esquecido na sala da casa.
     Os discos e os livros foram companhias constantes em sua formação. O escritor se lembra que tinha predileção na escuta dos LPs da inigualável Clara Nunes e do também inigualável Djavan. Mas o amor pelo samba veio mesmo quando ouviu um LP dedicado à obra de Cartola, veio-lhe, como gosta de dizer, "a percepção da grandiosidade do samba...", realmente, ouvindo o Mestre Cartola não se pode dizer que há exagero na colocação.
     No bairro da Gamboa, zona portuária do Rio de Janeiro, fez parceria com Orlando Professor e juntos compuseram muitos sambas além de fundarem o Cordão do Prata Preta, cordão que leva a tradição que referencia o nome.
     Escrever é ofício que procura aprender desde os treze anos de idade, assim como a composição de música popular.
     Em 2013 lançou seu primeiro livro de poesias, "Aquarele". No ano seguinte lança três livros digitais (e-books): "A didática na criação dos cursos de direito à distância", Assédio moral no trabalho: aspectos probatórios" e "A inversão do ônus da prova no direito processual trabalhista", livros relacionados mais à sua formação em Ciências Jurídicas e sua especialização em Didática do Ensino Superior.
Em 2015 lança o segundo livro de poesias, também digitalmente, "Coração Mimeografado".
     Seu primeiro CD de samba saiu somente no ano de 2017, quando lançou o álbum "Na subida do Morro".     
     O escritor Marcelo Bizar lançou com outros escritores-poetas o Sarau dos Sambistas o livro "Pele de todos os sangues" no ano de 2015.
     Atualmente exerce as funções de editor e escritor na revista eletrônica Revista Sarau Subúrbio, que já se encontra com várias edições a partir de 2018. Visite a revista clicando no link: Revista Sarau Subúrbio.